Concursos e Empregos

Conteúdo específico pede mais atenção

Disciplinas como gestão de pessoas, arquivologia e recursos humanos, por exemplo, têm sido cada vez mais presentes em provas.



Rizemberg Felipe
Rizemberg Felipe
Para Diego Porto, que estuda para concursos, o fato desses assuntos serem cobrados nos certames dificulta os estudos

Até os concurseiros mais experientes têm sofrido com uma nova realidade nos concursos para os cargos de ensino médio: trata-se dos novos conteúdos que, pouco a pouco, têm sido colocados nos editais. Disciplinas como gestão de pessoas, arquivologia e recursos humanos, por exemplo, têm sido cada vez mais presentes na parte de conhecimentos específicos exigidos dos candidatos.

Embora, a princípio, isso possa causar certa estranheza por parte dos concurseiros, não há outra saída: o jeito é procurar materiais específicos, videoaulas e apostilas para, pouco a pouco, criar intimidade com a área e, assim, não deixar que isso seja motivo para ficar para trás no ranking dos aprovados.

Para o estudante do curso de Direito Diego Porto, que estuda para concursos, o fato desses assuntos serem cobrados nos certames dificulta os estudos pelo pouco contato que a pessoa tem com a área. "A gente não tem, por exemplo, o vocabulário necessário para acertar a questão. Aí isso dificulta um pouco. Se você estuda por um material e a banca utiliza outro material, que faz referência a um sinônimo daquela palavra que você aprendeu, você pode até dominar o conteúdo, mas vai acabar perdendo a questão", opina.

Um dos concursos que ele fez e que foram cobrados conteúdos distintos do leque já comum aos concurseiros de plantão foi para o cargo de técnico do Ministério Público da União, no qual foi cobrado o conteúdo de arquivologia. Embora ele aponte outros motivos para não ter gostado da prova - esse foi, também, por exemplo, o primeiro concurso que ele fez cuja banca organizadora era o Cespe, banca considerada o terror dos concurseiros - o fato de assuntos até então inéditos terem sido abordados também foi um dos motivos para que não se sentisse confiante com a prova. "Um dos motivos, com certeza, foi esse", diz.

Para o professor de concursos Marcos Igor, que costuma dar essas disciplinas para concursos, a melhor forma de estudar é procurar livros específicos, sites confiáveis e apostilas voltadas exclusivamente para o concurso que o candidato está pretendendo. Segundo ele, disciplinas como Gestão de Pessoas e Recursos Humanos são cobradas, por exemplo, nos concursos da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal.