Brasil

Número de cheques sem fundos em julho é o menor para o mês desde 2004

No acumulado dos últimos 12 meses, houve recuo de 9,8% no número de cheques compensados, enquanto o de cheques devolvidos por falta de fundos caiu 29,9%.




Da Agência Brasil

Em julho, 1,74% dos cheques emitidos em todo o país foi devolvido por falta de fundos. Foi a menor taxa verificada para o mês desde 2004, quando deixou de ser compensado 1,56% dos cheques emitidos. Os dados foram divulgados hoje pelo Serasa Experian.

Segundo o Indicador Serasa Experian de Cheques sem Fundos, no acumulado dos últimos doze meses houve recuo de 9,8% no número de cheques compensados enquanto o de cheques devolvidos por falta de fundos caiu 29,9%.

O Amapá lidera a lista dos estados que registraram o maior número de cheques devolvidos, entre janeiro e julho deste ano, com 11,25%. Na sequência estão Maranhão, com 9,71%, Roraima e Acre com 9,41% e 7,86% respectivamente.

São Paulo foi o estado com menor número de cheques devolvidos no período: 1,41%. Em seguida estão Rio de Janeiro (1,53%), Paraná (1,64%) e Santa Catarina (1,66%).

Por regiões, a Região Norte registrou o maior índice de calote com cheques (4,15%), seguida por Nordeste (3,23%); Centro-Oeste (2,39%), Sul (1,76%) e Sudeste (1,52%).

Na avaliação da Serasa Experian, a queda dos cheques devolvidos por falta de fundos ocorreu porque o consumidor tem preferido fazer dívidas com prazos mais longos que os oferecidos em compras e contratação de serviços com cheques pré-datados.

De acordo com as perspectivas da entidade, a redução do número de cheques sem fundos deve continuar, mas a inadimplência pode aumentar pontualmente em função de datas com grande estímulo ao consumo, como o dia das Crianças, em outubro, e o Natal, em dezembro.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.