Brasil

Brasil é 100º em igualdade de salário entre homens e mulheres, diz estudo

País ocupa 73º lugar no ranking da igualdade entre os sexos. Relatório foi divulgado pelo Fórum Econômico Mundial.




Do G1

O Brasil oferece a homens e mulheres oportunidades iguais em educação e saúde, mas é um dos últimos países na comparação de igualdade salarial entre sexos,

revelou nesta quarta-feira (12) levantamento do Fórum Econômico Mundial.

 

De acordo com o estudo, o país ocupa a 100ª posição em igualdade de salários para atividades similares, entre 130 países. No ranking geral, que mede a igualdade entre homens e mulheres, o país ainda está em 73º lugar, uma posição acima em relação a 2007.

 

De acordo com o relatório "Gender Gap Index 2008", o país é uma das 24 nações que oferecem oportunidades iguais de educação a homens e mulheres, ao lado de exemplos Austrália, República Tcheca, França, Jamaica e Nova Zelândia.

 

Segundo o Fórum Econômico Mundial, a expansão nas matrículas de ensino básico ajudaram a colocar o Brasil "entre os 24 países que cobriram completamente os buracos na diferença entre sexos na educação".

 

O país também oferece oportunidades iguais a homens e mulheres, de acordo com o relatório, de saúde e sobrevivência, junto com mais 36 países.

 

Já em participação econômica e oportunidade, o Brasil cai para a 59ª posição. Segundo o estudo, o índice de participação econômica considera três aspectos: a diferença de remuneração, de participação de ambos os sexos nas forças de trabalho, e a diferença de avanços por gênero, medida pela presença de homens e mulheres em cargos políticos, de gerência e chefia.

 

O desempenho do Brasil piora bastante quando o questito é diferença entre sexos em cargos políticos: ele cai para 110ª posição.

 

Ainda de acordo com o estudo, a Noruega é o país que melhor promove a igualdade entre os sexos, seguido por Finlândia, Suécia (que liderou o ranking de 2007), Islândia e Nova Zelândia.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.